Grupo de Whatsapp em universidade de Alagoas fala em fuzilar e depois queimar direitistas




Foto a direita: Antõnio Cruz /ABr

Tratar “fascista e imperialista” na ponta do fuzil, dar tiro na cabeça, no peito, e ainda queimar o corpo “para garantir”, estão entre as pregações de um grupo de mensagens de Whatsapp identificado como membros do do curso “História Geral”, da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal). 


O discurso de ódio, de conotação claramente esquerdista, foi registrado durante comentários do grupo sobre a renúncia do cocaleiro Evo Morales da presidência da Bolívia, após fraudar as eleições para manter o cargo.

No grupo da Uneal prega-se a intolerância e a violência sem saber, por ignorantes, que se utilizam dos métodos fascistas que criticam.

“Quando a gente diz que facista [sic] e imperialista se trata na ponta do fuzil. A esquerda centrista acha ruim”, diz um deles em mau português.

Outra radicaliza ainda mais: “Um tira [sic] na cabeça e um no peito pra ter a confirmação”. Um terceiro reforça: “Depois queima só por garantia”.


A leitura das mensagens mostra como fazem falta a essa turma estudar História de fato e, se possível, também revisitar a Cartilha do ABC. 
A informação é da coluna do jornalista Cláudio Humberto.
Diário do Poder

20:09
16/11/2019

clickmonteiro.com.br

0 comentários:

Postar um comentário