Suspeito de matar mulher tem prisão preventiva decretada, após ter sido liberado por delegado






O homem suspeito de invadir a casa da companheira e matá-la a facadas, além de ferir a filha dela, durante a madrugada dessa quarta-feira (28), se apresentou, na tarde desta quinta (29), na Delegacia de Polícia em Patos. Após prestar depoimento, inicialmente, ele seria liberado, mas depois teve a prisão preventiva decretada, aguarda para ser levado para a prisão e depois passar por audiência de custódia.


*Atualizada para incluir que, após o depoimento, o delegado determinou a prisão preventiva do suspeito

Leia também:
Homem mata mulher a facadas e deixa adolescente ferida
Inicialmente, o suspeito seria liberado por ter livrado o flagrante, mas o delegado Sheldon Andrius, após ouvir o depoimento do suspeito, que chegou ao local com o advogado, determinou que ele fosse preso preventivamente. O homem confessou o crime.

Às 18h20 desta quinta-feira (29), o suspeito ainda aguardava o mandado.

Em imagens capturadas na delegacia e divulgadas por aplicativo de mensagens, é possível ver marcas de ferimentos nos braços do homem, que possivelmente entrou em luta corporal com as vítimas.

Marcas, possivelmente de luta corporal
(Foto: Reprodução/ WhatsApp)

Juberlúcia Oliveira da Silva, de 30 anos, foi morta a facadas no município de Condado, na região de Patos, Sertão da Paraíba, durante a madrugada da quarta-feira (28). O suspeito teria invadido a casa e atacado ela e a filha dela, uma adolescente de 13 anos.

O Portal Correio tentou entrar em contato com o Hospital Infantil Noaldo Leite, onde a jovem permanece internada, para saber o estado de saúde atualizado dela, mas as ligações não foram atendidas.

Sobre o suspeito e o crime
Segundo o delegado que atendeu a ocorrência, Manoel Martins, a princípio as informações apontavam que o homem era o ex-companheiro da vítima, mas as novas apurações apontam que o suspeito era o atual e a suposta motivação do crime seria porque ela estaria se reconciliando com o ex.


“Ele era o atual companheiro dela, mas nesse relacionamento ela estaria voltando para o antigo companheiro, e o suspeito estava trabalhando em São Paulo como vendedor ambulante e tomou conhecimento da possível traição, foi quando passou a fazer ameaças à família,” contou o delegado.

De acordo com o delegado, na residência, que foi arrombada com uma alavanca, tinha ainda uma criança de cinco anos, filho da mulher, que presenciou toda a cena.
Portal Correio

20:00
29/08/2019

clickmonteiro.com.br

0 comentários:

Postar um comentário