Acusado de feminicídio manteve corpo de namorada morta durante três dias em casa



Thomás Henrique Damas Neto Sottani, de 25 anos, foi preso depois de confessar que matou a namorada
Foto: Divulgação/Polícia Civil do Espírito Santos

Um homem acusado de ter matado a namorada manteve o corpo da vítima dentro de casa durante três dias, na Serra, no Espírito Santos. Thomás Henrique Damas Neto Sottani, de 25 anos, foi preso na última quarta-feira após confessar o crime na delegacia da região. De acordo com a Polícia Civil, ele agrediu a uruguaia Ellen Geni Gonzales Costa, de 29 anos, até a morte na madrugada de domingo para segunda-feira.


O caso aconteceu na casa em que o casal morava, no bairro São Patrício. Em depoimento, Thomás disse que ingeriram uma grande quantidade de bebida alcoólica durante a tarde do último domingo. Em determinado momento, o homem começou a jogar em seu notebook e, por causa disso, Ellen teria se sentido rejeitada.


Segundo a polícia, os dois começaram a discutir até chegarem as vias de fato. A titular da Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM), Raffaela Almeida, informou que Thomás chegou a dar um soco tão forte na vítima que acabou quebrando a mão:

— Ele foi ficando cada vez mais agressivo, até o momento que ele deferiu um soco com tamanha força que quebrou a mão dele. Depois, ele a esganou até a morte.

Após o crime, Thomás continuou a rotina normalmente durante três dias, conforme informou a corporação. De acordo com a polícia, ele chegou até procurar atendimento no hospital para tratar da fratura. Apenas na manhã de quarta-feira o acusado contou ao pai o que ele tinha feito. Após conversarem, o homem convenceu o filho a se entregar na delegacia.

De acordo com Almeida, o acusado alegou que tentou reanimar a namorada, mas a Polícia Civil não aceitou essa versão.

— Quando a pessoa tenta reanimar um ente querido e vê que não está conseguindo, ela se desespera. A pessoa liga para os órgãos de saúde, chama uma ambulância, o Samu; liga para um parente ou um amigo. Até mesmo para a Polícia para contar o que aconteceu, mas não foi isso que ele fez — explicou a delegada ressaltando o fato de que Thomás ficou com o corpo da namorada durante dias em sua casa.

Ellen foi encontrada na residência do casal coberta com um pano. Os agentes informaram que a casa estava revirada, com sinais de briga. Ainda segundo a delegada, Thomás alegou que agiu em legítima defesa — versão que também foi rejeitada pela corporação.

— Legítima defesa acontece quando estamos em uma injusta agressão e reagimos de forma proporcional. Nesse caso, nitidamente, o homem era muito mais forte que a mulher e não teve proporcionalidade, já que ele chegou até quebrar a própria mão — disse Almeida.

Thomás foi levado para o Centro de Detenção Provisória de Viana (CDPV).
Extra

21:00
08/08/2019


clickmonteiro.com.br

0 comentários:

Postar um comentário