Fim do diálogo com o MST: CEL. DO INCRA suspende atendimento dos "invasores de terras “


General Jesus Corrêa, indicado por Jair Bolsonaro para presidir o Incra (Instituto
Nacional de Colonização e Reforma Agrária)
Elza Fiuza/Agencia Brasil 

O novo ouvidor do INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), o coronel do Exército João Miguel Souza Aguiar Maia de Sousa, enviou um memorando-circular nesta última quinta (21) a todas as superintendências do órgão com a orientação (recomendação?) de que seus subordinados não mais recebam entidades ou representantes que “não possuam personalidade jurídica”.


Ou seja, na prática, acabou o diálogo com o movimento terrorista do MST.

No mesmo documento, o coronel afirma:

“Não deverão ser atendidos invasores de terras (estes devem ser notificados conforme a lei)”.

A ordem do coronel é que a orientação seja repassada pelos superintendentes a todos os chefes de divisão e executores das unidades do órgão no país inteiro.

Em recente entrevista à Folha de São Paulo, o general presidente do Incra, João Carlos de Jesus Corrêa, que indicou o coronel para o órgão, afirmou:

“A minha concepção sobre essa questão é que nós vamos manter um diálogo com aquelas entidades que possuem existência, com identidade jurídica. Essa é uma condição sine qua non (sine qua non:condição indispensável, essencial, cláusula. ") . E, para interlocução, outra questão imperativa considerada é que a entidade não esteja à margem da lei e que esteja dentro do processo nacional dentro da legalidade”
politz.com.br

19:00
22/02/2019

clickmonteiro.com.br

0 comentários:

Postar um comentário