Ameaçada por aluno, professora sai correndo de sala de aula na mesma escola onde professor levou socos

Escola estadual localizada no Parque Alto de Fátima registrou dois casos de agressão e ameaça a professores em menos de uma semana — Foto: Reprodução/Google Street View

A escola estadual de Lins (SP) que na sexta-feira (22) ganhou destaque por causa de violenta agressão de um aluno contra um professor de 62 anos voltou a virar caso de polícia nesta terça-feira (26). Desta vez, uma professora de 53 anos saiu correndo da sala de aula após ser ameaçada por um aluno de 12 anos.


Segundo o boletim de ocorrência, a professora dava aula na 6ª série da Escola Estadual Octacílio Sant’Anna quando chamou a atenção do adolescente porque ele estaria provocando um tumulto durante uma queda de energia que deixou a sala sem luz.

Ainda segundo o registro policial, o garoto não gostou de ter sido advertido, xingou a professora e partiu em sua direção com gestos agressivos. A mulher saiu correndo da sala de aula e o adolescente acabou sendo contido pelo inspetor da escola.

O jovem foi encaminhado para casa e, além do registro do caso junto à Polícia Civil, o Conselho Tutelar também foi acionado.

Questionada, a Secretaria Estadual de Educação informou em nota que a Diretoria Regional de Ensino de Lins confirmou que o aluno, que faz acompanhamento psicológico, foi suspenso. A nota diz ainda que, após o episódio, a equipe gestora tentou contato com os responsáveis e acionou a polícia e o Conselho Tutelar.

Segundo a secretaria estadual, "integrantes do grêmio escolar, professores e gestores se uniram para traçar estratégias e realizar ações pedagógicas que valorizem a escola e restaurem o clima de paz e respeito na comunidade".


Outros casos:Em menos de uma semana, este é o terceiro caso de agressão de alunos contra professores na cidade.
Professor Paulo Procópio, de 62 anos, disse que pretende abandonar
a profissão após a agressão praticada por um aluno de 14 anos
— Foto: Arquivo pessoal

Depois das agressões na mesma escola, o professor de 62 anos que acabou com o rosto ensanguentado e precisou levar oito pontos cirúrgicos, afirmou que, por medo, planeja abandonar a profissão e antecipar sua aposentadoria.

Além dos dois casos registrados na EE Octacílio Sant’Anna, no Parque Alto de Fátima, um professor de 41 anos e um cuidador, de 23, foram agredidos por um aluno de 12 anos na EE Fernando Costa, no centro de Lins.

De acordo com o boletim de ocorrência, o aluno se exaltou porque não tinha uma caneta e agrediu o professor com tapas e socos, provocando lesões nos braços. Ainda segundo o boletim de ocorrência, o aluno ameaçou o professor de morte.
G1 SP

19:22
26/02/2019

clickmonteiro.com.br

0 comentários:

Postar um comentário