Tremor de 7,3 graus que atingiu a Venezuela na terça-feira também foi sentido em vários lugares do norte do Brasil


Pessoas caminham por área com detritos de construções afetadas por terremoto
em Caracas, Venezuela - 21/08/2018  (Carlos Garcia Rawlins/Reuters)

Um forte terremoto sacudiu o Norte da Venezuela  na tarde de terça-feira (21) e foi sentido, no Brasil, em cidades como Manaus, Boa Vista, Macapá e Belém. O tremor causou susto entre os venezuelanos e brasileiros, mas nenhum grande dano foi registrado.


O último grande terremoto que atingiu a região próxima a Manaus foi registrado em agosto de 1983, com magnitude 5,5 na escala Richter. Depois disso, apenas tremores menores foram observados na capital do Amazonas.

Segundo Marcelo Assumpção, professor de geofísica e membro do Centro de Sismologia da Universidade de São Paulo (USP), os tremores de terra são raros na região porque o Estado do Amazonas se encontra sobre uma parte estável da placa tectônica Sul-Americana.

Já o norte da Venezuela, atingido pelo tremor de 7,2 graus na terça, está exatamente no limite entre as placas Sul-Americana e do Caribe. A posição é mais propícia para terremotos.

“Os tremores que ocorrem perto de Manaus são chamados tremores interplaca. Ocorrem no interior da placa, são menos frequentes e tendem a ter magnitude menor”, explica Assumpção.

Na terça, o tremor foi sentido na região Norte do Brasil graças à sua força e profundidade. O epicentro do terremoto foi localizado a 123 quilômetros da superfície, próximo à cidade de Cumana, na costa norte da Venezuela.

“Quando o terremoto é mais profundo, seus efeitos são sentidos em maiores distâncias”, diz o professor. “Outros tremores menores ou réplicas dele também podem acontecer. Um terremoto grande não libera toda a pressão que estava presa no interior da Terra na primeira vez.”

Desde ontem, várias réplicas foram registradas pela Fundação Venezuelana de Pesquisas Sismológicas (Funsisvis), uma delas de 5,7 graus na mesma região do primeiro terremoto e outra de 4,1 no sul do Estado de Sucre. Esses pequenos tremores não foram sentidos no Brasil, já que tiveram força menor.

Os terremotos ocorrem por conta de liberação instantânea de energia no interior da Terra, em ondas que se propagam com movimentos elásticos. É geralmente causada por choques subterrâneos de placas tectônicas.

Os Estados do Rio Grande do Norte, Mato Grosso e Acre são alguns dos mais atingidos por pequenos tremores no Brasil. Por apresentarem pouca força, às vezes, os sismos não são nem mesmo sentidos pela população.

Tremores de 6,1, 6,4 e 6,7 graus foram registrados no Acre em 2007, 2010 e 2015, respectivamente. Este último foi o mais intenso já registrado com epicentro dentro do território brasileiro.

O abalo de 2007 também foi sentido no Amazonas, mas na região mais próxima à divisa sul do estado.
Veja.com

19:21
22/08/2018

clickmonteiro.com.br

0 comentários:

Postar um comentário