Presidente da Comissão de Direitos Humanos pede rigor na apuração da morte de agricultora no Congo




O deputado estadual Frei Anastácio, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa está solicitando à Secretaria de Segurança Pública do Estado da Paraíba atenção especial nas investigações do assassinato de Carla Catiane Brito da Silva Barbosa, de 31 anos, encontrada morta, no último sábado (04),no pátio de uma pousada no município do Congo, no semiárido paraibano.


A agricultora teria sido vítima de feminicídio e o principal suspeito da morte é seu ex-companheiro, conhecido na cidade como Inácio Vigia, que não teria aceitado o fim do relacionamento com Carla, que morava no Congo há 8 anos. 

"Não é possível ficar em silêncio diante de tamanha brutalidade. Esperamos que o secretário de segurança designe um delegado especial para apurar esse caso. Esperamos que essa morte não entre nas estatísticas de 5,3 mulheres assassinadas em cada cem mil paraibanas, sem punição do culpado", disse o deputado.

Segundo informações, o suspeito seguiu Carla até a pousada, onde ela encontraria seu atual companheiro. Lá, Inácio teria tentado disparar a arma contra a vítima, mas não teve sucesso. Dessa forma, ele teria espancado Carla com vários golpes na cabeça.

A vítima foi encaminhada primeiramente para um hospital de Sumé, onde foi diagnosticado que ela estaria com morte cerebral. Com isso, a vítima foi transferida para o para o Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, mas faleceu antes de chegar ao local.

"A gente pede que a polícia se dedique a elucidar esse caso, pois foi uma morte chocante, falando não só como irmã de Carla, mas também como mulher. Foi um crime de extrema crueldade", disse Katie Cleciana Brito, irmã da vítima.
Paraíba.com.br

18/44
09/08/2018

clickmonteiro.com.br

0 comentários:

Postar um comentário