Polícia pede prisão do pai do bebê Jonatas em Joinville, SC por desviar doações recebidas

O bebê Jonatas no primeiro dia de tratamento com medicamento
importado dos EUA (Reprodução/Facebook)

A Polícia Civil de Joinville (SC) indiciou os jovens Renato e Aline Openkoski, pais do bebê Jonatas, pelos crimes de estelionato e apropriação indébita, cujas penas somadas podem chegar a nove anos de prisão. Com ajuda de doadores desconhecidos e de celebridades, pais arrecadaram R$ 4 mi para tratamento do filho, mas desviaram dinheiro. Ambos foram indiciados



A polícia também pediu a prisão de Renato, sob a justificativa de que ele é o principal articulador dos crimes e diante da constatação de que eles continuam praticando o estelionato arrecadando dinheiro por meio de sensibilização das pessoas. Além deles, o médico Danny César de Oliveira Jumes também foi indiciado pelo crime de falso testemunho.


Os objetos apreendidos pela polícia na residência do casal em um mandado de busca e apreensão em fevereiro, entre eles um carro avaliado em cerca de 140 000 reais, televisão, óculos, perfumes, camisas de time de futebol, roupas e brinquedos, foram remetidos ao fórum de Joinville com a sugestão de que sejam leiloados e o dinheiro seja revertido para o tratamento da criança.


O casal estava sendo investigado pela delegada Georgia Marrianny Gonçalves Bastos, titular da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso de Joinville desde o começo deste ano sob a suspeita de desvio e mau uso do dinheiro arrecadado para o tratamento da doença do filho em campanhas na internet. Jonatas é portador da atrofia muscular espinhal tipo 1 (AME), uma doença genética rara, progressiva e extremamente incapacitante, que pode levar à morte em pouco tempo.


Com a ajuda de milhares de doadores desconhecidos e de celebridades como a atriz Danielle Winits; as duplas Victor e Léo e Zezé Di Camargo e Luciano; as apresentadoras Ana Hickmann e Eliana; o cantor Luan Santana, entre outros, os pais de Jonatas arrecadaram cerca de 4 milhões de reais em aproximadamente três meses – quantia mais do que suficiente para iniciar o tratamento do menino com o medicamento Spinraza, que promete estabilizar a progressão da doença e até mesmo recuperar movimentos perdidos em alguns casos. Cada dose da medicação custa em torno de 350.000 reais – são necessárias pelo menos quatro ampolas nos dois primeiros meses de tratamento, além das doses de manutenção a cada quatro meses.
Veja.com


20:20
30/07/2018

clickmonteiro.com.br

0 comentários:

Postar um comentário