Criminosos atacam Batalhão da Maré após operação no conjunto de favelas


Caveirão teve o pneu furado durante ataque
Foto: Marcelo Theobald/Agência O Globo
Criminosos armados atacaram a sede do 22º BPM (Maré), na tarde desta terça-feira, após operação policial que apreendeu cerca de uma toneladas de drogas no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio . Bandidos da Nova Holanda, umas comunidades onde os policiais haviam apreendido maconha, crack e cocaína, cercaram os fundos do batalhão pelas laterais e dispararam contra os policiais. Os militares revidaram os tiros, mas não houve feridos na ação. Um dos disparos atingiu um poste de iluminação no pátio da unidade.

O tiroteio começou pouco depois do término de uma operação conjunta do 22º BPM, Batalhão de Choque (BPChq), Batalhão de Opreações Espciais (Bope) e Batalhão dre Ações com Cães nas favelas da Maré. Enquanto policiais apresentavam o material apreendido, no pátio da unidade, os criminosos dispararam. Policiais e profissionais da imprensa se abrigaram dentro da unidade, que não chegou a ser invadida. Procurada pelo EXTRA, a PM negou que tenha ocorrido ataque à unidade.
Batalhão da Maré foi atacado Foto: Marcelo Theobald/Agência O GLOBO
O batalhão fica às margens da Linha Vermelha, uma das principais vias da cidade. A via expressa chegou a ser interditada, no trecho da Maré, no sentido Centro, por cerca de cinco minutos. Durante este tempo, um vendedor ambulante chegou a ficar deitado no asfalto, enquanto tráfego estava bloqueado. Pouco depois, o trâniso foi liberado. A troca de tiros entre PMs e traficantes ocorreu nos fundos da unidade, que faz divisa com a Nova Holanda.

Na operação da manhã desta terça, que antecedeu ao ataque, duas pessoas morreram e outras três ficaram feridas. As duas mortes ocorreram na Favela Parque União, também na Maré, quando bandidos foram baleados pelos policiais .

Todos os feridos foram levados para o Hospital Geral de Bonsucesso. Em nome de um deles havia um mandado de prisão, expedido pela Justiça, que foi cumprido pouco depois do atendimento médico.

Por conta da violência na Maré, 13 escolas, três creches e sete Espaços de Desenvolvimento Infantis (EDIs) suspenderam as atividades. Segundo a Secretaria municipal de Educação, as unidades atendem a 8.052 alunos.

De acordo com o Hospital Geral de Bonsucesso, por volta das 7h30, um jovem aparentando cerca de 20 anos, deu entrada na unidade com um tiro nas costas que transfixou e saiu pelo abdômen. Ele foi baleado na favela Nova Holanda. Já na Favela Parque União, os PMs apreenderam 'kits de maconha'. As embalegens estavam dentro de uma casa. Em cada "kit" havia, além da maconha, papel de seda e um isqueiro.

Com relação aos feridos, o delegado Wellington Oliveira, titular da 21ª DP (Bonsucesso), que invstiga o tiroteio, informou que pelo menos dois deles têm antecedentes criminais. As circustâncias em que eles foram feridos ainda estão sendo apuradas. A Polícia Militar não se pronunciou sobre os baleados na operação na Maré.


Ainda durante a ação, um caveirão do Bope teve um pneu furado a tiros. Além das drogas, a polícia apreendeu uma pistola, uma simulacro de psitola e munição de fuzil. Os PMs também localizaram um galpão, dentro da favela, utlizado para armazenar material eletroeletrônico contrabandeado.

Policiais Federais e agentes da Receita Federal foram chamados e lacraram o galpão e dez containers, onde parte dos produtos estava acondicionada.

Material eletroeletrônico apreendido na Maré
Foto: Reprodução
Uma hora e meia após os tiros terem sido disparados em direção ao Batalhão da Maré, policiais do Bope voltaram a entrar na Nova Holanda. Houve nova troca de tiros, por pelo menos cinco minutos. Desta vez, a ação terminou sem prisões ou apreensões.

Fonte:Extra

20:49
31/10/2017

clickmonteiro.com.br

0 comentários:

Postar um comentário